IBICT pode ser ponte para o futuro, afirma pesquisador português

O cientista social português, Pedro Ferraz, pesquisador da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, acredita que as organizações que trabalham com captação, processamento e transferência de informações científicas de ponta, como o IBICT, órgão do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, serão inevitavelmente a ponte tecnológica entre o passado analógico e o futuro digital. Para ele, as instituições que trabalham diretamente com o universo da ciência da informação serão agentes decisivos nessa nova ordem informacional. Ferraz fez as afirmações na palestra Tecnologias a Serviço da Inclusão Social, realizada na última terça-feira, dia 13, no auditório do IBICT.

A razão disto, explica Ferraz, está no fato de que a Sociedade da Informação e da Comunicação, impactada pela explosão das redes de informação e de relacionamento social, exige das nações o fortalecimento das instituições voltadas para a Ciência da Informação, área do conhecimento criado especialmente para administrar, regular e dinamizar essa nova realidade.

Em sua opinião, cabe aos governos, num modelo de “e-plannnig para governança”, reconhecer o papel dos institutos de informação científica e tecnológica para que as nações estejam preparadas e alinhadas com as transformações sociais e tecnológicas. “Isso implica necessariamente na adoção de políticas públicas direcionadas para essa transformação global”, observa o pesquisador.

Leia mais em: http://www.ibict.br/sala-de-imprensa/noticias/ibict-pode-ser-ponte-para-o-futuro-afirma-pesquisador-portugues/

Fonte: Site do Ibict - Sala de Imprensa